Shiva (deus hindu)

Quem é Shiva?

Shiva é um dos deuses mais importantes do hinduísmo, capaz de criar ou destruir o que quiser, porque é considerado o domínio de várias forças sobrenaturais no cosmos.

O deus Shiva representa a destruição e transformação universal. Seu nome deriva do siva sânscrito e significa "o benevolente". Ele também é conhecido como o senhor da destruição, senhor das feras, deus do caos, deus do mistério, deus da natureza, deus do conhecimento, Rudra, entre outros.

Na tradição hindu, Shiva cumpre a função do deus destruidor na Trimurti (três formas) ou Tríade Hindu, composta pelos deuses Brahma e Vishnu. Porém, também possui a capacidade de recriar a partir da morte, o que, entendido do hinduísmo, representa uma mudança no modo de vida e não a inexistência como tal.

Como um deus destruidor, Shiva destrói tudo o que existe para que o novo surja e a vida e o universo sejam regenerados, portanto, ele também é considerado um deus criador. No campo da espiritualidade, a destruição é necessária para evoluir, por isso ele também é considerado o mais importante iogue ou deus do ioga.

Da mesma forma, Shiva é o deus reverenciado do Shivaismo, uma das crenças mais antigas e influentes do Hudaismo.

Características e atributos de Shiva

No hinduísmo, Shiva é um dos deuses mais poderosos por ter a capacidade de criar e destruir a fim de alcançar a renovação espiritual e o equilíbrio do universo. Portanto, Shiva tem várias características físicas e atributos que o diferenciam de outros deuses.

Características físicas)

  • Sua pele é retratada em uma cor cinza-azulada desde que ele tomou o veneno criado para destruir todos os seres do universo, a quem ele salvou. É um néctar criado pelos deuses para se tornarem imortais.
  • Sua pele é retratada coberta de cinzas, o que representa a vida e a morte como uma realidade da vida.
  • Seu cabelo está emaranhado. As ondas de seu cabelo o representam como o deus do vento (Vaiu), e a forma da respiração que está presente em todos os seres vivos.
  • De sua cabeça e cabelos flui o rio Ganges, que representa a purificação de seus pecados e dos de seus ancestrais.
  • Ele tem três olhos, um deles está localizado no meio da testa. Diz-se que seus olhos são capazes de ver o passado, o presente e o futuro.
  • Possui quatro braços. Em uma ele segura um tridente que, para o Shivaismo, representa os atributos que possui como deus criador, destruidor e regenerador. Em outro braço, ele segura um tambor em forma de ampulheta.

Atributos

  • Na testa, ele tem a lua em fase crescente, perto do terceiro olho. A lua serve como uma medida de tempo, então Shiva também é representado como o mestre do tempo.
  • Em sua testa, ele também tem três linhas de cinza (vibhuti) desenhadas, que representam a essência do nosso ser (o ego, as impurezas da ignorância, gostos, aversões, entre outros).
  • Ele usa uma cobra em volta do pescoço. Shiva havia ingerido veneno de kalketu para proteger o bem-estar do universo, mas acredita-se que sua esposa Parvati amarrou uma cobra a ele para reter o veneno em sua garganta, ficando azul.
  • Possui um colar de contas que representa a extinção e a geração da humanidade.
  • Vista-se com pele de elefante, que simboliza orgulho, e pele de veado, que simboliza o controle da mente com perfeição.
  • Nas bonecas tem bandas de madeira às quais são atribuídos poderes medicinais.
  • Ele está sentado sobre uma pele de tigre, que simboliza a vitória contra qualquer força e representa sua conquista antes do desejo.

Shivaismo

Shivaism é uma das crenças hindus mais antigas e praticadas. Ele venera apenas Shiva como o deus supremo, que representa a destruição e a criação para alcançar a purificação do universo.

É uma crença bastante ampla, abrangendo várias visões filosóficas monísticas e dualistas sobre a origem do universo, bem como mitos, rituais e práticas de ioga.

Shivaism é baseado nos textos sagrados dos Vedas (quatro livros da literatura indiana) e dos Agamas (literatura budista, hindu e yaina). Shiva é referido como Rudra ou Maheshwaram nos textos dos Vedas.

Shiva é geralmente adorado como:

  • um deus supremo da Trimurti, (Brahma, Visnu e Shiva),
  • deus da reprodução, cujo símbolo é chamado lingam (falo),
  • destruindo deus, então ele pode ser chamado de Kala,
  • em suas várias formas humanas, como Nataraja ou Natarash (dançarino) ou Dakshina-murti (imagem de um professor que ensina a verdade absoluta a quatro sábios).

Aqueles que praticam o shivaism são chamados de shivaístas ou shaivas, por adorar Shiva como deus criador, destruidor e preservador. Essa crença é praticada principalmente na Índia, Nepal e Sri Lanka, embora tenha se espalhado pelo mundo.

A adoração a Shiva é realizada tanto em templos quanto em altares caseiros daqueles que praticam essa crença.

História de Shiva

As principais fontes de informação sobre a mitologia hindu são os antigos textos Vedas, Puranas e Tantras, que coletam e descrevem as histórias, épicos e mitos tradicionais sobre os deuses do hinduísmo e datam, pelo menos, do segundo milênio aC.

Nessas histórias, a história de Shiva não é clara e não tem um fio narrativo coerente. Por exemplo, nos textos dos Vedas o nome do deus Shiva não aparece, mas para aumentar sua veneração, ele foi associado ao deus Rudra, que aparece no Rig-Veda (o texto mais antigo da tradição védica).

Na religião védica, uma das crenças mais antigas da Índia, a única divindade com grande potencial destrutivo é Rudra, deus de força "terrível", que mais tarde se identificou como Shiva "o benevolente". Ambos os deuses têm as mesmas qualidades nas escrituras hindus e são reconhecidos como o mesmo deus pelos especialistas.

Por outro lado, nos textos dos Puranas, Shiva é referido como Shiva, Linga, Skanda, Agnim, entre outros. Mas em nenhum desses textos ou mitos sua origem é esclarecida, embora ele se destaque como um dos principais deuses do hinduísmo.

No entanto, sabe-se que Shiva faz parte da Trimurti ou Tríade Hindu, formada pelos três grandes deuses do Hinduísmo. Shiva representa o deus destruidor, Brahma o deus criador e Vishnu é o deus preservador. Desta forma, o ciclo de criação, preservação e destruição é concluído.

Para Shiva, a destruição é necessária para alcançar a purificação espiritual. Seu aspecto destrutivo também está associado à ideia de mudança e transformação da vida e do universo como um ciclo contínuo.

Também se sabe que sua casa fica no Monte Kailasa, uma imagem que pode ser vista ao fundo quando ele é retratado fazendo a postura de ioga Mahāyogī e onde viveu com suas esposas.

Principais mitos de Shiva

Shiva e Sati

Sati, deusa da felicidade conjugal e longevidade, filha de Daksha e Prasuti, foi a primeira esposa de Shiva. Satí nasceu da reencarnação da deusa Adi Parashakti, de quem seus pais eram devotos e a quem ela advertia que não podiam maltratar sua filha porque isso causaria sua morte.

Sati se casou com Shiva, mas Daksha não aprovou o casamento. Ele deu uma festa para a qual convidou todos os deuses, exceto sua filha Satí e Shiva. Sati insistiu que Shiva fosse, mas ele não quis. Satí foi confrontar seu pai, que gritou com ela e proibiu sua entrada, o que causou seu suicídio colocando-se em chamas.

Quando Shiva descobriu, ele ficou furioso com a casa de Dashka, a quem matou junto com milhares de inocentes através da dança da destruição ou sua representação de Shiva Nataraja.

Finalmente, Shiva trouxe de volta à vida todos aqueles que havia matado, pegou o corpo carbonizado de Satí e caminhou pelo universo. Várias partes do corpo de Sati caíram em vários lugares que agora são considerados sagrados no Sri Lanka, Índia, Nepal e outros países asiáticos.

Shiva e Parvati

Shiva teve como sua segunda esposa Parvati (também chamada de Uma), com quem morava no Monte Kailasa, sua casa. Parvati é a reencarnação de Satí.

Parvati representa a energia cósmica que permite a renovação, transformação e regeneração. Também aparece em outras fases da vida de Shiva, como Durga, Kali, entre outras. Shiva e Parvati formam um par complementar de forças universais.

Juntos, eles tiveram uma profunda história de amor e representam a busca pelo ente querido a partir de nosso próprio ser. Na tradição hindu, Parvati representa o princípio feminino e Shiva, o princípio masculino.

Juntos, eles formaram uma família cósmica com três filhos:

  • Aiapa (encarnação feminina de Vishnu).
  • Kartikeia (deus da guerra ou violência), tem seis faces.
  • Ganesha (deus com cabeça de elefante), representa a inteligência.

Shiva Nataraja

Shiva Nataraja ou Senhor da Dança é a representação do deus dançarino Shiva. Geralmente, é representado em esculturas de pedra ou metal que configuram a dança da fúria, usada por Shiva para destruir algo e depois fazê-lo renascer.

Shiva Nataraja é representado dançando em um círculo de fogo e em Apasmara (anão que representa a ignorância).

Ele mostra uma postura dinâmica em que se apóia sobre a perna direita, enquanto a esquerda é levantada e cruzada. Seu cabelo está se mexendo e seus quatro braços estão estendidos.

Pode interessar a você: Ganesha

Shiva e ioga

Shiva é considerado o deus e porta-voz da ioga ou Grande Iogue. Yoga é uma disciplina física e mental milenar, cujo objetivo é libertar os laços materiais da alma. Na ioga, a purificação espiritual é necessária para evoluir.

Shiva é considerado o iogue mais importante porque ele simboliza a energia criativa e destrutiva. Seus ensinamentos servem de ponte para o ser humano compreender a si mesmo e tudo o que o cerca, a fim de viver uma existência melhor sem apegos, desenvolvendo a força interior e a concentração mental.

Uma das representações mais comuns de Shiva na ioga é a de Mahāyogī, na qual ele aparece sentado, em frente ao Monte Kailasa, sobre a pele de um tigre na postura perfeita ou postura de lótus.O terceiro olho em sua testa representa a energia da sabedoria.

Tag:  Ciência Expressões Populares Provérbios E Provérbios